Entrevista com Yatamalo – Morte & Renascimento

Margarete – Estamos no último mês do Ano, fechando ciclos, repensando caminhos, criando novas metas e posssibilidades. De que maneira poderemos estar
mais conscientes neste processo de Morte e Renascimento cotidiano?

Yatamalo – Uma maneira sagrada e simples é observar o Sol quando nasce e quando se põe no firmamento, agradecendo ao Grande Pai e a Grande Mãe, por mais um dia de existência. Meditar e Orar. Dois requisitos básicos para uma vida melhor. Nossa respiração completa obrigatoriamente nos conecta com a Vida (inspiração) e a Morte ( expiração ). Nascemos e morremos a cada respiração. Não há mistério. Há um Caminho Zen que nos ajuda na tomada de consciência: PENSAMENTO, PALAVRA, AÇÃO. Exemplo: Pensamento bom, palavra boa, ação boa. Pensamento amoroso, palavra amorosa, ação amorosa. Pensamento justo, palavra justa, ação justa…

Margarete – O apego à materialidade, as emoções e tudo que é ilusório e passageiro nos faz ainda preferir nos agarrar ao que não nos faz bem a deixar o rio seguir seu fluxo natural. O Ser Humano tem medo da liberdade da vida?

Yatamalo – A Roda da Medicina Sagrada, também chamada pelos irmãos norte – americanos de O Elo Sagrado, é O Círculo da Vida e nos mostra a direção onde estamos no Caminho Sagrado. O Sul – (coração, emoções – lugar da criança, nascimento) faz oposição ao Norte – (a mente, lugar dos anciãos, sabedoria e gratidão). Assim como o Oeste – (O Corpo Físico) faz oposição ao Leste – (corpo espiritual).
Quando estamos integrados neste Círculo com harmonia, sem nos estagnarmos em uma só direção, podemos viver o fluxo natural do nosso rio, sem apegos, com liberdade. Observe o fluxo do rio interno (as emoções), e navegue com naturalidade, sem querer desviá-lo do seu Divino Curso.

Margarete – Vivemos uma crise de paradigmas que pede um novo olhar sobre a vida, sem abandonar o velho, mas incorporando-o no que tem de aprendizado e de belo. Esta é a essência: Vida e Morte se compõem?

Yatamalo – Vida e Morte são partes de um Todo. É a mesma essência, não há separação. E a Roda vai girando… SUL – nascimento, OESTE – maturidade, NORTE – velhice e morte, LESTE – espírito, transitoriedade, renascimento. Assim é a Vida. Termina um Ciclo, começa outro… O que plantamos hoje, colhemos amanhã…

Margarete – No mundo contemporâneo, as tradições são vistas como modelos ultrapassados ao modernismo e os mais velhos, senhores inúteis da sociedade. De que maneira a Tradição Xamânica nos ensina o caminho da sabedoria através do respeito às velhas tradições e nossa ancestralidade?

Yatamalo – O Mundo Moderno vive altas tecnologias e consumismo material., frutos do velho sistema patriarcal. O Novo Milênio nos alinha com a energia matricial, a energia do feminino, da Deusa, a própria Mãe Terra, corpo vivo e sagrado que está sofrendo com a violência gerada pelos humanos.
A Tradição Xamânica, que é para nós hoje, o resgate das técnicas e práticas de curas arcaicas, as mais primitivas do planeta, e é passada de geração à geração através dos ensinamentos dos anciãos, os antigos xamãs, visa a integração da Mãe Terra, o Pai Céu, os elemenos vitais água, terra, fogo e ar, os humanos, as plantas, os animais e todos os seres vivos da terra, as estrelas, os astros, planetas e constelações, na harmonia, na paz e no amor, no mesmo elo Sagrado.

Margarete – Existe algum portal dos elementos essenciais da natureza (água, fogo, terra e ar) que represente energeticamente a vibração do ano? Se há, qual o elemento regente de 2006?

Yatamalo – É importante a visão holística dos quatro portais: Sul, Oeste, Norte e Leste, que representam exatamente as quatro raças do planeta: Vermelha, Negra, Branca e Amarela.
Devemos honrar e reverenciar todos os portais porque são imprescindíveis para a nossa vida . Sul – Água; Oeste – Terra; Norte – ar e Leste – fogo. Todos fazem parte de um mesmo ciclo, o ciclo da vida.
Saturno, o regente do Ano 2006 é o Senhor do Tempo, dos limites e das responsabilidades. O Elemento é a TERRA, que representa o corpo físico. Será o Ano do Trabalho, com paciência. Cuidados relevantes com a pele, ossos e dentes.

Margarete – Os animais de poder são também essências da natureza que o xamanismo resgata. Assim como há os animais do zodíaco chinês que representam o ano vigente, existe um animal de poder que irá guiar o ano que vem?

Yatamalo – No xamanismo temos os animais internos assim classificados:Animal de Poder, Animal de Proteção, Animal Sagrado e Animal de Cura.São os totens que nos guiam na vida. Nós xamãs orientamos as pessoas como entrarem em contato com seus animais com jornadas xamânicas. Com o auxílio do tambor, instrumento básico dos xamãs. Essa conexão fortalece e traz benefícios para a nossa vida. No zodíaco chinês, o Ano será regido pelo Cão que tem como carro chefe a fidelidade, e é o melhor amigo do homem.
Para os xamãs 2006 é o Ano da Tartaruga, símbolo mais antigo do nosso planeta, e representa a Mãe Terra., a longevidade.
A Tartaruga expressa o Poder Feminino na sua essência. Ela traz no dorso as 13 espirais que são as 13 Luas (ciclo de fertilidade das mulheres).
Neste Ano Novo honremos e reverenciemos a Mãe Terra e todas as suas manifestações como sacerdotes e curandeiros da Deusa, a Grande Mãe. Capricórnio, regido por Saturno – Terra faz oposição a Câncer – Água. Assim como a Tartaruga se move na terra e na água, que são as suas duas moradas, sigamos os passos da Tartaruga, com paciência e Sabedoria.

Margarete – O Xamanismo traz o encontro profundo com gaia, a mãe-terra, e a conexão com a natureza no planeta azul. De que maneira este despertar pode levar a uma vida mais consciente com a ecologia integral e um novo modelo de sociedade auto-sustentável?

Yatamalo – Creio que é de suma importância explicar quem são os xamãs, pois daí derivam os termos xamanismo, xamânico, xamantismo, etc.
Os Xamãs são pessoas (homens e mulheres) que trabalham com o calor e o fogo divinos, e as técnicas e práticas arcaicas de cura. Todo xamã é um curandeiro, porém nem todo curandeiro é um xamã. Este viaja especificamente nos mundos profundos (abaixo, acima e o centro) para resgatar a alma ou espírito de uma pessoa doente. Entra em estado xamânico de consciência com o seu tambor, sua maraca, plantas de poder, cantos e rezas.
Devemos nos espelhar nos xamãs e nas suas comunidades, pois vivem tribalmente em sintonia com todas as formas de vida, como seus parentes, e lidam com a beleza, a verdade e a inocência, atributos já esquecidos para a maioria dos humanos.

Margarete – Durante um longo período de civilização, os seres humanos viveram o arquétipo do masculino, das conquistas, da tecnologia, da razão e sem viver em equilíbrio, chegando ao caos. Como o feminino ressurge desta necessidade do amor e do cuidado neste novo milênio?

Yatamalo – Com a consciência plena de que temos a responsabilidade de caminharmos juntos e unidos (todos os povos, crenças, tradições e religiões), ecumenicamente, para salvarmos o planeta.
Que cada um de nós seja um beija-flor, apagando o fogo da incoerência humana, com sua gôta de amor, cada um fazendo a sua parte, com a visão do todo.
Tudo nasce do feminino. E tudo retorna para ELA, a MÃE-TERRA.

Margarete – Deixe uma mensagem de fim de ano e começo do próximo para os leitores do Jornal a Teia.

Yatamalo – Que a nossa caminhada em 2005 tenha sido um aprendizado, pois muitas águas se moveram (física e emocionalmente), lavando e purificando a Terra e seus Filhos.
O Ano 2006 (que soma 8), será regido pela Justiça – arquétipo do Tarô – equilíbrio e harmonia. No taoismo, união yin – yang, a real dualidade, feminino – masculino, e todas as polaridades, a união mágica, o casamento sagrado da unidade.

Que a Deusa – Mãe e o Deus – Pai nos cubram com os seus mantos sagrados.
Paz, Amor, Luz, Cura e Prosperidade.
Para todos os seres viventes da Terra.
Por todas as nossas relações
(Oh Mitakuye Oasin),
e por todos o Cosmos.
Eu, Yatamalo (Marise Dantas), falei.

Margarete Almeida é jornalista paraibana e Editora do Jornal A Teia – Conexão Holística.

Anúncios