Léo Artese entrevista Yatamalo

Léo: O que é a Taba da Águia?

Yatamalo: Léo, o nome Taba da Águia veio pelo som do Tambor e inspiração da ancestralidade. Foi dado pelo meu Mestre Interno que se chama Águia Dourada. Tenho muitas conexões com a águia. Ela se apresentou desde o começo das minhas práticas xamânicas (Iniciação Xamânica com aCarminha Levy em 1992) como o meu animal de cura. É o Espírito Totem principal Médico Curador (Clínico Geral) que me auxilia quando estou ajudando uma pessoa em curas xamânicas.

Sou leonina, regida pelo Sol, que segundo as lendas indígenas brasileiras é Guaracy, a Águia Ascendente do Leste. A Taba da Águia é um Espaço Sagrado para Estudos e Práticas Xamânicas que foi criado em 1995 para ser o local de encontro dos aprendizes da Formação de Facilitadores de Xamanismo Matricial, presidida pela nossa querida Xamã Carminha Levy, e realizada na UNIPAZ – Universidade Holística Internacional da Paz em Brasília, no período de 1995 à 1997.

A Ruth Grimberg (Ruth Rã), Maria da Guia Dantas (D`Águia) e eu, Marise Dantas (Yatamalo), fizemos parte desta Formação como aprendizes e Coordenadoras. A Taba da Águia (o espaço físico) era o meu consultório de Psicologia e situava-se na Asa Sul, 707.

Em janeiro de 1998 a Taba da Águia voou para João pessoa, Paraíba, onde o Sol nasce primeiro nas Américas. É o Jardim das Américas. E aqui estamos até hoje. Tenho um projeto para a Taba da Águia voltar para o Planalto e se instalar numa área rural para ser uma comunidade de Curas Xamânicas. Aguardo apoio e suporte para concretizar este sonho.

Léo : Como são realizados os trabalhos e que tipo de cursos, vivências e oficinas você faz?

Yatamalo: Léo, aqui na Taba da Águia, os trabalhos de xamanismo são realizados basicamente de duas formas: trabalho de atendimento individual, ou trabalho em grupo. No trabalho individual, eu procuro enxergar através do transe do tambor a cura que será necessária para o paciente, e em seguida tomo as direções necessárias para o início da cura junto à pessoa.

No trabalho em grupo, na maioria das vezes o mais importante é a aprendizagem do uso da energia e força do grupo para a cura de todos. São vários os tipos de trabalho, em grupo e individual, que estão muito bem detalhados no meu site:http://www.tabadaaguia.on.to para quem desejar se aprofundar melhor nas informações com relação a cada trabalho.

A Taba da Águia recebe Xamãs para realizarem seus trabalhos e está aberta a curandeiros de outras religiões e tradições. Citaremos alguns:

Agustín Guzmán – xamã peruano – Curas com Wachuma – San Pedrito. Sônia Sahchez – sacerdotisa e xamã uruguaia. Virgílio Vassalo – italiano – tradição cigana. Valéria Vilhena – brasileira – astróloga e wicana. Mãe Valdete – brasileira – baiana – yalorixá. Germano Redher – brasileiro – psicopictógrafo.

Léo : Como vê o papel da Mulher no Xamanismo?

Yatamalo : Começo respondendo esta pergunta com a frase: “Tudo vem do Feminino”, da Grande Mãe, a Divina e Sagrada Mãe, a Grande Deusa, que é Alpha e Ômega, princípio e fim. E às suas filhas foi dado o direito de “Dar a Luz” aos filhos da Terra, assim como lhes deu a manifestação das suas faces como Donzela, Mãe e Anciã. Desde os primórdios das civilizações os Povos da Terra reverenciaram e cultuaram a Deusa Mãe e suas Deusas Filhas. E muitos dos seus filhos se tornaram Sacerdotes e Sacerdotisas. curandeiros e curandeiras, mas ao longo dos tempos o Sistema Patriarcal denegriu, expurgou e expulsou as Sagradas Mulheres da Devoção à Deusa e assim elas tiveram que se submeter a este sistema que gerou “a perda do feminino, do sagrado poder feminino”.

Mas da Grande Árvore Mãe, a Árvore da Vida nem todas as sementes se perderam e muitas mulheres sobreviveram até os nossos dias como sacerdotisas e curandeiras da Deusa. O papel da mulher no Xamanismo deve ser o Resgate da Energia Feminina, o Poder Divino do Feminino para curar, ajudar e harmonizar homens e mulheres neste momento de grandes transformações que o nosso planeta, a Mãe Terra está passando, e sabemos que as mudanças ou transformações virão e já estão aí, pelas águas, pela terra, pelo fogo e pelo ar. Não temos tempo a perder, Temos que unir forças para receber as grandes transformações pois sbemos que estamos (ou nossos filhos testemunharão) iniciando a Grande Jornada para um Mundo Melhor, e a Nova Consciência está conectada com a Matricial Consciência: A Terra será Pacífica e os Povos da Terra se tornarão Pacíficos.

Recebi por inspiração da Deusa um canto que diz o seguinte:

Ó Deusa dos dez mil nomes, Cy, Ísis e Maria, Pachamama. Yemanjá, Mulher Búfalo Branco, São alguns dos seus nomes, Ó Deusa dos dez mil nomes.

Reverencio a minha querida e amada Xamã e Sacerdotisa da Deusa, Carminha Levy, que nos recorda os atributos da Deusa: Amor, Sabedoria, Perdão, Compaixão, Justiça, Liberdade, Misericórdia, Beleza, etc.

Abra o seu coração e siga os passos da Deusa e a sua Luz que a cada sol nascente nos traz Guaracy, a Deusa Sol, Águia Dourada e Sagrada Ascendente para nos despertar e agradecer pelo novo dia.

Léo : Como você vê o Xamanismo praticado no Brasil?

Yatamalo: Sabemos que o Brasil é um grande celeiro espiritual. Nas últimas duas décadas com o florescimento dos movimentos holísticos, ecumênicos, esotéricos e espirituais, as pessoas tiveram abertura para uma Nova Consciência e para o Xamanismo.

Como o nosso país é deveras grande, acredito que há muitos xamãs (especialmente entre os povos indígenas , pajés homens e mulheres) que não são conhecidos fora do seu habitat e praticam o xamanismo em suas vidas e com a sua população.

Nos centros urbanos as pessoas começaram a se interessar pelo tema , buscaram ler sobre o tema e buscaram os xamãs que são reconhecidos pelos seus trabalhos.

Nos dias atuais e com o auxílio da Internet é possível conectar-se com vários xamãs em todo o Brasil.

Cada xamã tem a sua própria medicina, sua própria forma de curar, seja com o uso de plantas sagradas, com rezas, cantos, danças, ou utilizando as tecnicas arcaicas de cura, etc.

A ABRAX – Associação Brasileira de Xamanismo é fruto do I Congresso Brasileiro de amanismo que reuniu 72 xamãs, praticantes de xamanismo e aprendizes de xamanismo em São Paulo. Este Congresso nos deu uma visão de várias vertentes de xamãs e um pouco dos seus trabalhos. Foi um Congresso maravilhoso e de excelente nível . Um sucesso. Espero que outros Congressos e Encontros aconteçam para partilharmos cada vez mais nossa experiências como xamãs.

E que na Casa de Cy, a Deusa Mãe Terra Brasilis o Fogo sagrado do Xamanismo cresça cada vez mais com amor, devoção e responsabilidade.

Léo : Quais são os maiores preconceitos que os praticantes do Xamanismo enfrentam?

Yatamalo: Acredito que os preconceitos são os mesmos conceitos anteriores arcaicos e antigos estabelecidos pelo sistema patriarcal: falsos julgamentos, moralismo, mêdo do desconhecido, do novo, mêdo de amar, de abraçar, de ser feminino, de abrir o coração, de ser justo, bom e honesto, de abrir a intuição, alargar a visão, ver por novos prismas, enxergar o invisível…

Diante destes tais preconceitos, nós xamãs devemos estar atentos, centrados e conectados com a Sagrada Luz que nos dá a força e o poder pessoal para não nos envolvermos com o que está “fora dela”. Devemos brincar e rir bastante, deixando que a nossa criança interna esteja sempre presente.

Se você não é bem vindo, siga outra direção, simplesmente…

Não dê tanta importância a si mesmo. Dê importância ao que é em si mesmo.

Ser Xamã não é mesmo ser normal.

Ser Xamã é ser diferente.

Léo : Como você vê as práticas arcaicas e ancestrais sendo praticadas em pleno século XXI?

Yatamalo : As práticas arcaicas e ancestrais de cura foram passadas de geração à geração, de avós para pais, de pais para filhos até os nossos dias, por isso elas não morreram, estão na memória do corpo físico assim como as memórias do corpo físico da Mãe Terra que alimenta, nutre e cura os seus filhos.

Quando a Deusa fala “Eu sou Alpha e Ômega“, o princípio e o fim, Ela também diz que o Meio é o Equilíbrio, assim como para os orientais o centro é o umbigo . O Encontro Céu e terra nos humanos. A Energia do Pai Céu e da Mãe Terra nos dá o Equilíbrio. Essa é a Grande Medicina, a Medicina dos Xamãs.

Léo : Você pode citar casos de cura, de transformação com as práticas ?

Yatamalo : Léo, eu sou suspeita para falar do meu trabalho. Seria bom se algumas pessoas falassem por si mesmas em relação ao “antes e depois da xamã Yatamalo “. Ah! Ah! Ah!

São l0 anos de práticas de cura e muita gente neste Brasil conhece o meu trabalho.

Mas vamos lá. Quando estou com alguém ou um grupo de possoas para trabalhar como xamã, eu me ponho totalmente na energia do divino, da Luz., e me sinto como um bambú ôco e daí em diante muita coisa acontece. Eu sou movida pela Luz. Eu posso tocar tambor, mover maracas, dançar, cantar, fazer fumaça com a sálvia sagrada, e entro em contato com a minha ancestralidade. As vezes falo com a voz das minhas avós inca, maya, asteca e lakota, etc. Tenho visão de vidas passadas e geralmente é trabalhado a prioridade que está afetando a pessoa, seja a nível emocional, físico, mental ou espiritual. Nunca fiz isso antes, mas vou citar alguns casos especiais de cura e mudanças em algumas pessoas:

1ª. Pessoa – Numa roda de cura em Brasília veio um jovem de l8 anos que tinha asma ou problemas respiratórios e usava este tipo de bombinha com medicação. Ele foi criado pela sua vó que faleceu quando tinha sete anos. Ele percebeu na cura que ficou “sem ar” desde o dia que sua avó se foi. Bom, o trabalho de cura foi direcionado para esta avó, para deixá-la ir, realmente. Ele se conectou com ela, falou tudo que precisava falar, que já era um homem com l8 anos, que ela devia seguir para a Luz, e eles poderiam se comunicar através dos sonhos, ou outros sinais. E ele amorosamente se despediu dela. Após este trabalho fiquei sabendo que el e ficou curado e nunca mais usou tal medicação, que dependeu durante ll anos de sua vida.

2ª. Pessoa – Aqui em João Pessoa atendi um rapaz com 28 anos, formado, mas sem objetivos na vida. Tinha um irmão drogativo que provocava um verdadeiro caos em sua própria vida e na família,. Mãe dominadora, pai aposentado mas omisso. Após vários encontros falei para ele que seu irmão era um auto-suicida, pois dava entrada constante em clinicas de recuperação, e que ele não podia salvar o seu irmão. Tinha que cuidar de si mesmo. Esse rapaz tinha amigos paraibanos que viviam na Suiça, e estes amigos o convidavam para ir viver lá. Numa tentativa, tinha voltado do aeroporto e não conseguia se libertar dos velhos padrões. Bom ele está vivendo na Suiça há 3 anos, tem uma vida melhor e está feliz. Seu irmão log após sua ida para a Suiça, comprou uma moto no final da tarde e a noite foi pego por um carro. Faleceu no local, mas deixou uma sementinha porque nasceu sua filhinha meses depois da sua morte.

3ª. Pessoa – Atendi um moço uma única vez numa roda de cura na Taba da Águia aqui em joão Pessoa. Ele é um excelente artista plástico, mas seu trabalho aqui não era reconhecido como merecia. O seu trabalho de cura , prioridade no momento tinha relação com o seu pai. Na semana seguinte viajou para a Itália, vive lá há dois anos e soube que está bem, se aprimorando em belas Artes, e lembra que Yatamalo o ajudou um dia.

Acredito que as pessoas encontram um xamã porque elas estão abertas às mudanças e as transformações em suas vidas. No tempo certo e na hora certa. Creio que não há mais nada a falar no momento.

Aí vai uma pequena mensagem minha aos leitores da ABRAX:

“Que a Águia Sagrada do Leste, Guaracy, Arco-Íris de Luz, nos guie em clareza, beleza e pureza na Boa Estrada Vermelha da Mãe Terra, onde todos nós somos parentes, e pertencemos a mesma Família Planetária, e somos os fios da mesma Teia.

Paz, Amor, Luz, Cura e Prosperidade,

Para todos os seres viventes da Terra,

Por todas as nossas relações

(Oh Mitakuye Oasin),

e por todo o Cosmos.”

Eu, Yatamalo (Marise Dantas), falei. Ahô.

Léo, obrigada pelo carinho.Que a Grande Mãe lhe abençoe e proteja, sempre. Como Presidente da ABRAX e como o Ser Humano que você é.

À todos da ABRAX, Paz, Amor e Luz.

Léo: Eu é que agradeço seu carinho e atenção, minha querida irmã do Caminho. Yatamalo, como contatamos você?

Advertisements